SEMANA SINDICAL DA MELHOR IDADE - 2º Dia


Terceira Idade ou MELHOR IDADE?


Um dos temas que mais me atrai atualmente é o que se refere aos nomes que usamos para nos referir às pessoas com mais de 60 anos de idade.

Entre tais nomes, o mais utilizado é o termo “terceira idade”, que começou a ser usado na França, na década de 60 (le troisième âge), para se referir a pessoas acima de 45 anos que atingiam essa faixa da vida em boas condições de saúde, como forma de incentivá-las a se manter ativas.

Apesar de ser muito utilizado, tem se popularizado no Brasil a utilização do termo “melhor idade” para se referir às pessoas idosas, pois elas não teriam mais as preocupações da vida adulta e, a partir de então, poderiam simplesmente aproveitar a vida.

Tal termo tenta convencer as pessoas idosas de que elas estão no melhor de suas vidas, e que, a partir de agora, poderão aproveitar a vida e não terão de se preocupar com mais nada.

Aparentemente, a adoção desse termo tem seu fundamento no Teorema de Thomas, formulado por William I. Thomas, pelo qual, se as pessoas definem uma situação como sendo real, as consequências dessa percepção são reais.

Do ponto de vista de desenvolvimento da autoestima dos idosos, é possível que a adoção desse termo tenha efeitos positivos. Afinal, se os idosos se convencerem de que realmente estão no melhor de suas vidas, é provável que aproveitem melhor os anos que viverem após os 60 anos de idade.

Assim, a adoção do termo “melhor idade” não garante que as pessoas idosas sejam tratadas com maior respeito ou que seus conhecimentos sejam valorizados pelas outras pessoas não-idosas.

Mais importante do que os nomes que são utilizados para se referir às pessoas com mais de 60 anos de idade, é a forma que as tratamos, pois, afinal, elas merecem ser tratadas com muito respeito por tudo que fizeram por nossa comunidade.


                                                                              JEFFERSON APARECIDO DIAS (Doutor em Direitos Humanos e Desenvolvimento na Universidade Pablo de Olavide, em Sevilha (Espanha)

Postagens mais visitadas deste blog

Janeiro Branco