Graça Costa fala em Entrevista sobre as Perspectivas da Classe Trabalhadora CUTista em 2014




Secretaria de Relações do Trabalho da CUT EM AÇÃO

GRAÇA COSTA - A CUT comemorou seus 30 anos com muito vigor e brilhantismo! E, particularmente, conduzindo a Secretaria Nacional de Relações do Trabalho, empreendemos grande luta contra a aprovação do PL 4330 que tenta regulamentar a Terceirização.

Na verdade o texto desse projeto de lei não fala nada de regularizar e muito menos de igualar os direitos dos(as) trabalhadores(as) que já tem emprego fixo e os terceirizados mas abre porta para terceirizar todos os setores e põe em risco os 45 milhões de empregos formais no Brasil que poderiam se tornar em pouco tempo em cargos e empresas terceirizadas.

Mesmo com todos os problemas fechamos o ano de 2013 em alto estilo. Conseguimos barrar o PL 4330; conseguimos que não fosse aprovado o PL 710/2011 que trata do Direito de Greve que na verdade só vem restringir; retiramos de pauta o PL 951/2011 (simples trabalhista) que objetiva criar uma classe inferior de trabalhadores(as).

Aprovamos a PEC das trabalhadoras domésticas beneficiando 7 milhões de pessoas em sua grande maioria mulheres e conseguimos barrar o PLS que trata da terceirização no Senado Federal.

De olho no Processo Eleitoral de 2014: momento de lutas intensas e de oportunidades

GRAÇA COSTA - E esse conjunto de lutas é um trabalho que satisfaz demais a nós dirigentes. Isso tudo é resistência porque estamos  correndo atrás de prejuízos no Congresso Nacional mas também nos indica o caminho da reflexão de como será o processo eleitoral de 2014. Nós da Classe Trabalhadora, vamos continuar votando nos ricos? 

E dessa forma o Congresso nacional seja tomado por dois terços do empresariado brasileiro que só aprova projetos contra os(as) trabalhadores(as)? Ou vamos aproveitar o ano de 2014 pra virar a mesa, trabalhador(a) votar em trabalhador(a)? 

Para que assim a gente possa sonhar, lutar, planejar mas que a gente tenha representantes à altura do peso que tem a classe trabalhadora aqui no Brasil e que é referência pro Mundo todo.

A CUT é a quinta maior central sindical do Mundo, é a maior do Brasil e da América Latina. Tem uma história belíssima e a Classe Trabalhadora tem condição de reverter toda essa situação agora em 2014.

Perspectivas para 2014

GRAÇA COSTA - Vamos fazer um planejamento ainda mais ousado para 2014. Por isso venham com a gente, vamos nos fortalecer, nos filiar a sindicatos da CUT para continuarmos mais ousadamente mobilizando e construindo novas conquistas ainda mais profundas.

A prova disso é que acabamos de lançar o novo formato do Observatório de Gênero. Agora ele está em uma versão mais acadêmica, mais científica, com uma linha editorial diferenciada buscando dialogar com a base mas também com  comunidade científica, com a Sociedade de uma forma geral.

Estamos prevendo duas edições bem arrojadas pro ano. Vamos continuar tratando das questões de gênero do ponto de vista sindical mas com maior profundidade buscando uma compreensão científica extremamente importante.

Nessa quarta edição temos três artigos que considero importantes como o da Professora Vilani que trata sobre o tráfico de mulheres; da professora Gema Galgani, ela que é Socióloga da UFC e o meu artigo que trata das questões de equidade de gênero e remuneração.

Queremos com tudo isso formar a base e a Sociedade acerca de temas de relevância internacional e que são caros à Classe Trabalhadora.


Postagens mais visitadas deste blog

Janeiro Branco