[REDE SERTÃO SINDICAL] - Mundo - DILMA ACERTA COM OBAMA VISITA A WASHINGTON

VENEZUELA PREPARA CÚPULA SOBRE QUEDA DOS PREÇOS DO PETRÓLEO

Marcelo.Garcia:
O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou que está preparando um encontro internacional, com a presença de representantes da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), para discutir a queda dos preços do petróleo; para a Venezuela, o preço justo é US$ 100 o barril. O petróleo venezuelano estava cotado ontem a US$ 70,80 o barril.

DILMA ACERTA COM OBAMA VISITA A WASHINGTON

:
Depois das turbulências causadas pelo escândalo de espionagem, Brasil e Estados Unidos dão início à reaproximação bilateral; no G20, presidentes Dilma e Barack Obama discutiram a data de uma nova visita de estado a Washington

ONU pede que países ratifiquem protocolo contra pena de morte


 Comitê de Direitos Humanos da ONU pediu aos países que ratifiquem o Segundo Protocolo Opcional ao Pacto Internacional sobre Direitos Civis e Políticos, que têm por objetivo abolir a pena de morte.
O pedido foi feito para marcar o 25º aniversário da adoção do documento.  Segundo o Comitê, a prática tem diminuído de forma significativa desde 1989.
Atualmente, 81 países já ratificaram o protocolo e outras 79 nações aboliram completamente a pena de morte ou não utilizam mais esse tipo de prática. Este ano, El Salvador, Gabão e Polônia anunciaram a ratificação.
O Comitê explica que apesar do artigo 6 do protocolo permitir o uso da pena de morte em casos restritos, a experiência demonstra que é extremamente raro que algum caso corresponda às provisões do documento.
Para as autoridades, é importante que até mesmo os países que não aplicam mais esse tipo de punição ratifiquem o protocolo. Isso porque, o documento evita que eles possam facilmente restaurar a pena de morte no futuro.
Nesse caso, primeiro as nações terão de abandonar o acordo antes que a pena possa ser reinstaurada.
De Nova York, da Rádio ONU, Edgard Júnior.
30/10/14


BRASIL E EUA REABREM DIÁLOGO NA CÚPULA DO G20

:
Líderes do Brasil e dos Estados Unidos farão primeira reunião formal desde a crise diplomática provocada pelos abusos da espionagem norte-americana; presidente Dilma Rousseff e Barack Obama devem relançar acordos bilaterais, como o Open Skies, que ampliaria opções de rotas para viagens aos EUA a partir do Brasil, e o Visa Waiver, que derrubaria a obrigatoriedade de visto para turistas dos dois países.
Em uma primeira agenda formal desde a crise diplomática provocada pelos abusos da espionagem norte-americana, a presidente Dilma Rousseff vai se reunir com Barack Obama durante o G20 na Austrália, neste final de semana.
No último G20, logo depois da descoberta da ação da Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos (NSA, na sigla em inglês) no Brasil, Obama tentou, sem sucesso, convencer Dilma a não cancelar a visita de Estado a Washington, marcada para outubro.
Desde então, a Casa Branca sinalizou vários gestos de reaproximação, incluindo iniciativas para controlar o serviço de espionagem. Em visita à Copa do Mundo no Brasil, o vice-presidente Joe Biden também tentou relançar o convite dos EUA. O último gesto foi feito após a reeleição de Dilma Rousseff em uma ligação pessoal de Barack Obama para felicitá-la.
Com a reabertura de diálogo, os dois líderes devem relançar acordos comerciais como o Open Skies, que ampliaria opções de rotas para viagens aos EUA a partir do Brasil. Outra tema em pauta é o Visa Waiver, que derrubaria a obrigatoriedade de visto para turistas dos dois países. 
A presidente também deve se encontrar com a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, e com o presidente da China, Xi Jinping.

Postagens mais visitadas deste blog

Janeiro Branco