Lula manda carta a sindicalistas e recebe homenagem em Congresso da CSI

Publicado: 04 Dezembro, 2018 - 11h25 | Última modificação: 04 Dezembro, 2018 - 14h36
Escrito por: Andre Accarini
CUT
notice
Na manhã desta terça-feira (4), os mais de 1.200 sindicalistas de 132 países, que participam do 4° Congresso Mundial da Confederação Sindical Internacional (CSI), viveram um momento de emoção ao participarem de um ato em defesa da liberdade do ex-presidente Lula, mantido preso político desde o dia 7 de abril na sede da Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba.
Lula mandou uma carta à CSI denunciando o golpe, ainda em curso no Brasil, que teve início com o impeachment da presidenta eleita Dilma Rousseff, continuou com os ataques aos direitos sociais e trabalhistas, depois com sua prisão, após condenação sem crimes nem provas, e resultou no impedimento de sua candidatura à presidência da República, em 2018, mesmo liderando todas as pesquisas eleitorais.
Lula também reforçou a importância da atuação da CSI e a necessidade de um movimento sindical unido para lutar pelos direitos dos trabalhadores e trabalhadoras, no Brasil e no mundo, em defesa da democracia e para alcançar uma sociedade mais justa.
"Hoje, mais do que nunca, precisamos de um movimento sindical forte e unido para, juntos, lutar pela democracia, resgatar e fortalecer os direitos trabalhistas e alcançar uma sociedade mais justa e igualitária", escreveu o ex-presidente aos participantes do congresso da CSI.
A íntegra da carta foi lida ao público pelo secretário de Relações Internacionais da CUT, Antônio Lisboa, ao lado dos sindicalistas da Central, que participam dos debates em Copenhague, capital da Dinamarca, onde é realizado o Congresso.
Carta de Lula à CSI:


Postagens mais visitadas deste blog

Janeiro Branco