Sindicalistas de todo o mundo debatem estratégias de luta da classe trabalhadora

Confederação Sindical Internacional (CSI) vai se posicionar frente às políticas que retiram direitos trabalhistas e sociais. Desafio principal é lutar contra o avanço das desigualdades em todo o mundo

 Publicado: 03 Dezembro, 2018 - 13h17 | Última modificação: 03 Dezembro, 2018 - 13h35

Escrito por: Andre Accarini




‘Mudar as Regras’ (Change The Rules) é o tema do 4° Congresso da Confederação Sindical Internacional (CSI), que teve início neste domingo (2), em Copenhagen, capital da Dinamarca. Até a próxima sexta-feira (7), mais de 1.200 sindicalistas de 132 países vão discutir as estratégias de luta por direitos de trabalhadores e trabalhadoras de todo o planeta.

A CSI representa 207 milhões de trabalhadores e trabalhadoras em 163 países e territórios de 331 sindicatos nacionais. O Congresso também elegerá a nova direção da entidade para os próximos quatro anos.

“A CSI é um importante instrumento de luta da classe trabalhadora mundial. Por isso, desejo ao futuro presidente e à direção da confederação muita energia para seguir fortalecendo a entidade e a luta em defesa da justiça social no mundo todo”, disse o atual presidente da entidade, o cutista João Antôni Felício, durante a abertura oficial do Congresso.

O diretor geral da Organização Internacional do Trabalho (OIT), Guy Ryder, alertou para o fracasso da economia em gerar empregos e melhorar a qualidade de vida das pessoas. Ele destacou que “a média mundial de aumento real de salários, de 0,8%, foi a menor desde 2008 e significa que o mundo ainda está no caminho para uma maior desigualdade e injustiça social”.

FONTE: CUT NACIONAL

Postagens mais visitadas deste blog

Janeiro Branco